Notícias CDL

Varejo de Santa Catarina cresce 9,3% em fevereiro de 2018

O ano começou bem para o varejo catarinense. As vendas do setor cresceram 9,3% em fevereiro na comparação com o mesmo mês de 2017. O índice de Santa Catarina está bem acima do registrado no país (1,3%) no período e entre os 17 Estados com desempenho positivo _ Tocantins (19,7%) e Espírito Santo (16,9%) registraram o maior crescimento, enquanto Goiás (-9,7%) e Distrito Federal (-8,2) tiveram a maior queda. Os dados fazem parte da Pesquisa Mensal de Comércio, divulgada pelo IBGE nesta quinta-feira. No acumulado deste ano, a alta do varejo de SC atingiu 12,5%, o segundo melhor desempenho do país para o bimestre entre as 27 unidades da federação.

Para a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado (Fecomércio SC), o desempenho positivo é reflexo do mercado interno consolidado, que registra menor informalidade e o aumento da disponibilidade de crédito para o consumidor, além da queda nos preços dos alimentos e a retomada do emprego e da renda. A variação (entre igual mês do ano anterior) é positivo em Santa Catarina desde novembro de 2016, quando o percentual foi de 4,2%.

— Santa Catarina deve manter a trajetória de recuperação e disseminar a retomada para todos os segmentos do varejo. A expectativa é retomar volumes absolutos de vendas próximos ao que tínhamos no período pré-crise, antes de 2014 — projeta o presidente da federação, Bruno Breithaupt.

A evolução do varejo estadual em fevereiro é puxada principalmente pela área de veículos, motocicletas, partes e peças (24,4%), seguido por artigos de uso pessoal e doméstico (18,2%) e hipermercados e supermercados (12,2%). Apenas dois setores, o de equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (-10,5%), e o de livros, jornais, revistas e papelaria (8,8%), acumularam queda se comparado com fevereiro de 2017. 

Além do aumento no volume de vendas, o varejo de SC também teve alta de 9,7% na receita no mês de fevereiro na comparação com o mesmo período do ano anterior. Em relação a janeiro houve queda de 0,3% no volume e de 0,2% na receita. 

Federação diz que confiança aumentou

A avaliação do assessor institucional da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC), João Carlos Dela Roca, segue na mesma linha da Fecomércio. Para ele, a queda da inflação e dos juros básico garantiu que a população conseguisse manter o poder de compra, permitindo assim a retoma do consumo, que é evidenciado agora.

— Desde a implementação das reformas econômicas, como o teto dos gastos e modernização trabalhista, por exemplo, a confiança na economia brasileira aumentou. O que se espera é uma retomada  gradual da economia com horizonte ficando mais claro a medida que conhecemos os candidatos às eleições e suas ideias para o país — analisa o assessor.  

O crescimento nacional de 1,3% em fevereiro é a 11ª taxa positiva seguida, embora a menos acentuada. Com isso, o varejo acumulou alta de 2,3% neste ano e 2,8% nos últimos 12 meses no país, mantendo a recuperação em curso desde outubro de 2016. 

Comportamento das atividades do setor
(Variação de vendas de  fevereiro 2018/fevereiro 2017 em %)
Outros artigos de uso pessoal e doméstico: 18,2
Hipermercados e supermercados: 12,2
Hiper e supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo: 11,7
Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, perfumaria e cosméticos: 9
Móveis: 7,7
Móveis e eletrodomésticos: 3,6
Eletrodomésticos: 3,2
Combustíveis e lubrificantes: 2,9
Tecidos, vestuário e calçados: 2
Livros, jornais, revistas e papelaria: -8,8 
Equip. e materiais para escritório, informática e comunicação:  -10,5

Fonte: Diário Catarinense

Tópicos: Varejo, Vendas, Economia, Crescimento

Recomendados para você